Nonsense consensual em forma de blogue.
Criado no dia 22 de Abril de 2012.

Despertar da mente

+ 6 comentários
Acordar custa. Acordar depois de estar a sonhar custa. Acordar e uma grande violencia.
Despertar e bom, vejo o despertar como um acordar mas mais lento. Despertar pode-se fazer aos poucos, assim como quem nao quer adiantar o tempo. Despertar leva tempo. Como quase todas as coisas boas e deliciosas. Adoro despertar. Adoro despertar durante o dia.
Hoje tive um bom dia, e estive bastante desperta e dispersa. E bom falar com estranhos porque se pode dizer tudo.
Tive um pensamento. As pessoas gostam de lutar pelas coisas que tem custo mas nao gostam de lutar pelas que tem valor. Trabalham horas a fio para comprar uma coisa qualquer que acham que lhes vai dar mais valor, quando o que lhes deu foi mais custo e veneram essa coisa! No amor, como nao se tem de pagar nao lutam, nao elogiam e deitam fora como se fosse algo estragado ou fora de prazo. Trata-se o amor por voce em vez de se tratar por tu...aquele tu intimista aquele tu que me beijas, aquele tu que me preenches, aquele tu que me corres nas veias e me deixas em polvoroso.

Corre-se o mundo por uma melhor oferta de trabalho e deixa-se o amor para tras em vez de se correr por amor e deixar o trabalho para tras.

Sabem o que e que eu mais gostava de ter na vida? Uma pessoa que quisesse pegar na merda da mochila e correr o mundo comigo, sem dinheiro. Ir mesmo pela aventura, ir parando e trabalhando em troca de comida e de cama. Poder falar com pessoas, poder olhar para a minha pessoa a falar com pessoas. Quando se tem alguem para abracar e sentir que e a nossa vida o que mais se pode querer? Eu nao queria mais nada...mais nada de nada.




6 comentários:

  1. "Corre-se o mundo por uma melhor oferta de trabalho e deixa-se o amor para tras em vez de se correr por amor e deixar o trabalho para tras."

    Comoveste-me, Tanjas. Muito mesmo.

    ResponderEliminar
  2. "Trata-se o amor por voce em vez de se tratar por tu...aquele tu intimista aquele tu que me beijas, aquele tu que me preenches, aquele tu que me corres nas veias e me deixas em polvoroso."

    Um tu que nos deixa em êxtase, que nos põe numa loucura consciente ou numa sanidade inconsciente, um tu que nos rouba sem pedir, um tu que tão depressa diz "eu preciso" como se fosse sinónimo de "tu precisas", um tu que sou eu que antes era só tu, porque agora eu e tu não são mais nada que palavras,porque o nós prevaleceu, destituindo qualquer pronome singular de alguma significado, existindo a pluridade do nosso ser.

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Gostei do teu texto!
    Transmite sentimento.
    Acreditas no amor, Tange?

    ResponderEliminar
  5. Totalmente. A 100% A vida nao faz sentido nenhum se uma pessoa nao acreditar no amor. E mesmo acreditando pouco faz. Acredito nas loucuras por amor, acredito em morrer por amor. E acredito mesmo no amor e uma cabana, ou sem cabana alguma. Caecillia, eu sei que o amor fere. Mas nao abro mao de tudo o que se sente quando se ama a serio. Vou escrever para ti e o texto vai chamar-se metamorfose.

    ResponderEliminar
  6. Só hoje vi o teu comentário. :) Sorry...

    ResponderEliminar

Siga-nos por Email