Nonsense consensual em forma de blogue.
Criado no dia 22 de Abril de 2012.

Oh GOD

+ 1 comentário
(sou a informar que este post contem materia que pode deixar pessoas de um certo tipo com algum desprezo pela minha pessoa)

O meu nome, nao o Tangerine, o outro, tem um significado peculiar, que me foi explicado por uma mulher que se apaixonou por mim. Nao a vou descrever agora nem o que nos aconteceu.
 O meu nome significa "jardim de Deus". O meu ponto de vista sobre isto provavelmente difere do que realmente caracteriza o nome, talvez pela minha visao relativamente a religiao e as pessoas que acreditam nela seja negativa. A religiao e uma merda e as pessoas que acreditam em qualquer deus (a partir de agora sempre minuscula) sao pessoas diminuidas que precisam de desculpa para tudo o que lhes acontece na vida (INVEJA 1 - 0), que passam seis dias da semana a fazer porcaria para ao domingo, esse belissimo dia em que o ser humano consegue ser ainda mais bestial (no sentido de besta) irem a igreja confessar pecados.
 Fui educada por pessoas que acreditam em deus, nunca quis ser baptizada mesmo quando me disseram que fariam o maior bolo de chocolate do mundo para a minha festa de baptismo (GULA 1 - 0).

E eu que sofro por chocolate.

 Odeio o conceito. Deve ser das poucas coisas que odeio no mundo.
 Odeio deus (IRA 1 - 0) apesar de saber (VAIDADE 1 - 0) que ele nao existe, e por isso quando essa mulher me explicou o significado, ela uma catolica devota com a tatuagem de uma borboleta no rabo, (LUXURIA 1 - 0) eu dei a volta ao assunto e disse: "sabes entao onde mora o pecado."
Nao acredito no pecado, mas contrariamente a deus, deste conceito gosto.
O proibido.
 Adorava acreditar no castigo divino (AVAREZA 1 - 0), adorava ajoelhar-me a deus e pedir-lhe perdao, implorar.
Deve ser um alivio.
 Deus (agora no inicio de frase depois de ponto final tem mesmo de ser, regras sao regras) foi escrito por homens, e por homens bem perversos, que gostavam de ver pessoas ajoelhadas a auto-infligirem-se. Nao foi escrito por ninguem fora deste mundo, com qualquer capacidade divina. Faco muito mais que qualquer religioso faz, mesmo nos meus dias de nevoeiro cerrado em que se nao fico quieta (PREGUICA 1 - 0) vou brincar com xisatos. E ajoelho-me muito mais do que qualquer religioso e com isso alivio muito mais do que 13 aves marias e 21 padres nossos. Se querem venerar alguma coisa, podem venerar a minha! Sou pele carne osso sangue algo muito mais venerável que metal madeira pedra.




1 comentários:

  1. Um brilhante texto! Mas deus não tem de ter um significado ao qual recorrer sempre ajuda ou um bode expiatório para as más acções que realizamos. Eu acredito em Deus, mas não no circo que é a religião organizada, porque raio tenho de ler a Biblia ou ir à missa todos os domingos (quando posso dormir até às 13h) para me desculpa de pecados que fiz com plena consciência dos quais não sinto culpa, a isso chama-se hipocrisia, e nisso não participo.

    Mas não invalida eu acreditar em Deus. Eu acredito em Deus, tal como acredito em alguns Homens, e não em sacos de carne e osso com um falo no meio das pernas. Porque ser homem e ser Homem é diferente. Não me irei alongar nisto, pois eu próprio não sei como desenvolver esta ideia. Tenho de ir colher mais dados.

    Em suma, e para mim, acreditar em Deus é um complemento da vida e não um bode expiatório para acções do dia-a-dia. Além do mais, acredito em duas grandes coisas, em Deus e na Ciência, que apesar da grande propaganda, não são incompatíveis, mas duas versões da mesma história (se bem interpretada).

    ResponderEliminar

Siga-nos por Email