Nonsense consensual em forma de blogue.
Criado no dia 22 de Abril de 2012.

Medos

+ 4 comentários
 Mais um texto do nosso benjamim, o Tom. A acidez anda a pegar-se. Sigam o exemplo do Tom e dos outros autores convidados e enviem-nos os vossos textos. Shalom!



Medos... O meu tema de hoje é o medo. Antes de mais devem estar a pensar: "Porque raio é que ele está a publicar isto?" Para vocês, minhas mentes curiosas sedentas de cusquice alheia, eu explico. Como o medo é um sentimento universal, merece que seja alvo de opinião e minúcia. E que melhor especialista do que eu, um autêntico Courage the cowardly Dog da vida real? (Quem não sabe, aconselho a ver o Cartoon Network).

E o que é o medo? O medo é um sentimento ou um estado emocional perante um determinado acto ou situação. (estou a escrever sem o acordo ortográfico, chamem o Ministério).

Sendo assim, o medo pode ser algo tão simples como ter medo de ser atropelado por um Renault Clio enquanto passeio sem preocupações em plena Lisboa ou o medo de não ser feliz, o que é um tema popular entre os jovens de hoje em dia e só aqui ganho 50 raparigas em publicidade com as suas frases e imagens. Mas são medos diferentes.

Afinal qual o pior? É pior ter medo ou não ter? Dizem que quem tem cu tem medo, portanto posso verificar que várias pessoas andam a mostrar imenso o medo que têm... Mas não é isso que mostra do que têm medo.

O maior medo é o medo do desconhecimento, a dúvida, a escuridão mental do caminho que percorremos. Cada passo que damos em qualquer direcção que seja é um passo no breu, rumo ao desconhecido, o nosso coração acelera, o nosso pensamento perde-se em mil decisões possíveis, enquanto andamos às apalpadelas pelas paredes, ou pelos medos que cada pessoa tem...Uns mais agradáveis que outros.

Ter medo é tão natural como respirar se não mais. Porque ainda antes de respirarmos por nossa própria vontade, já somos alvo de preocupações. Então como se vence o medo?

Não se vence. Quem diz que se vence, estará enganado, porque o medo é uma entidade que toma várias formas, aprendemos é a usá-lo. Desafiar a escuridão tornou-se passatempo recorrente com a indústria cineasta e de brincadeiras de crianças com os seus "Bloody Mary's" e superstições.

Tornou-se um modo de vida para várias pessoas, sendo autênticos daredevils da sociedade moderna, e assim se desenvolve o ser humano, ultrapassando os medos, troçando da sua insignificância, até adoptar outra forma.

E assim se vence o medo.


Eu já sei o que vão dizer nessas vozes esganiçadas qual adolescente imberbe: "Mas tu disseste que o medo não se vence e quem o dissesse estava enganado... "

Ora, mas quem disse que eu não estava enganado? Cada um fala dos seus medos, e os meus não se vencem... Vivem-se.

4 comentários:

  1. Muito a aprender ainda. É ir escrevendo e apreendendo experiência.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre... a essencia e isso mesmo mas nao te esquecas de olhar sempre a tua volta, a resposta esta sempre la :). ( quando tens medo...)

      Eliminar
  2. Nem sempre. Alias antes de olhar a minha volta, tenho de acender as luzes. :)

    ResponderEliminar

Siga-nos por Email