Nonsense consensual em forma de blogue.
Criado no dia 22 de Abril de 2012.

Os Dilemas de Maio

+ 5 comentários

Preço da chamada € 0,60 + IVA

Explicando a lei por miúdos , o crime de burla ocorre quando o burlão se serve do erro e do engano para sacar uns cobres a alguém. Ainda segundo a lei, por erro entende-se nenhuma representação da realidade e por engano algo tão simples como mentira.

Ou seja, espetar uma tanga a alguém com base numa mentira para encher os bolsos é burla.

Não duvido que exista alguém que vá já dizer que isto não é bem assim, que há variantes, que há excepções a considerar, enfim, toda a lenga-lenga própria de quem estudou para defender criminosos.

Eu não sou advogado. Sendo assim, quando existe uma lei que diz que todas as paredes têm que ser brancas, não vou ler os outros artigos que consideram excepções para as restantes variantes do arco-íris. Parece-me lógico. Mas a lógica estuda-se em matemática e não costuma ser o forte do pessoal de Letras.

Tendo consigo antagonizar já metade dos leitores, ou mais, tendo em conta as notas nacionais nas provas de matemática, vou continuar. E sem palavrões. Sinto-me bem educado hoje. Até me está a apetecer usar uma ou outra expressão em francês para dar um ar mais sofisticado ao texto.

  • Minha q'rida, como se chama?
  • Maria.
  • Maria, minha q'rida, quando nasceu minha q'rida?
  • Bla, bla, bla.
  • A minha q'rida é Caranguejo. Qual é o seu dilema, minha q'rida?
  • Olhe, ó Maya estou farta de ligar para aí.
  • Ó minha q'rida tem que ir tentando. Ligue várias vezes.
  • Ai, estou tão contente, Dona Maya.
  • Minha q'rida e o seu dilema?
  • ?
  • Minha q'rida o seu dilema, q'rida, o seu problema?
  • Ah, é a minha filha, Dona Maya. Sobre se ela vai arranjar trabalho.
  • Calma, minha q'rida. Data de nascimento da sua filha, minha q'rida?
  • Bla, bla, bla.
  • Muito bem, minha q'rida. A sua filha é (colocar aqui um signo qualquer). Ó minha q'rida, diga-me uma coisa...a sua filha tem enviado currículos?
  • Começou agora a enviar, Dona Maya.
  • Pois...as cartas dizem que ela vai começar a receber respostas. Pelo menos, dentro de um mês receberá algumas respostas, minha q'rida.
  • Ah e é para o estrangeiro, Dona Maya?
  • As cartas não especificam, minha q'rida.
  • E ela não arranja namorado?
  • Minha q'rida, as cartas dizem que chegará o tempo em que se apaixonará.
  • Ah, que bom Dona Maya. Obrigada.
  • Minha q'rida cá fico à espera de a ouvir. Liguem 760 10 30 10. E hoje é um dia para aproveitar as boas energias. Por isso, toca a ligar, meus q'ridos.

Está quase a sair um palavrão. Aí vem ele. Está a chegar à ponta dos dedos. Está quase, quase.

Vou conter-me.

  • Ó minha grande taróloga! Isso também eu sei dizer. E de graça.
  • Ó meu q'rido mas só liga quem quer. Experimenta ir ao meu consultório e vais ver como te espeto com uma conta de cem euros por meia hora de consulta. E não tens direito a factura.
  • Está bem, abelha! Já lá vou. Tenho visto no teu programinha que também dás conselhos de saúde. O que é que te habilita para prever desfechos de cancros, como eu já vi tu fazeres?
  • Q'rido, as cartas. As cartas habilitam-me para tal. E a SIC enquanto continuar com estes programinhas de adivinhações e conversas com o além. Aguenta, q'rido.
  • Já te passou pela cabeça que quando aconselhas, como também já vi, uma sogra a não confiar no genro, corres o risco de ele um dia te ir ao focinho?
  • Ó meu q'rido para isso é que existem as plásticas. Já arranjei as mamas e era a maneira de me livrar deste nariz de papagaio. Já disse ao meu q'rido que eu fui professora secundária? Costumo dizer todos os dias mas hoje estava a esquecer-me.
  • E ensinavas o quê, ó abelha? Fama Para Nulidades em 10 lições? Aposto que o Cláudio Ramos fazia parte da turma.
  • O meu grande amigo, Cláudio. Um beijinho para ti, meu q'rido. O Cláudio é (um signo qualquer). Se quiserem saber as previsões para o seu, liguem 760 10 30 10. Próxima chamada, meus q'ridos.


Já está. Escrevi umas linhas sobre a Maya sem um único palavrão.

Há uma razão muito importante para isso. Algumas pessoas não merecem um “foda-se”.

Ah, merda! Borrei a pintura.



5 comentários:

  1. Muito bom. Tive um dia a oportunidade de ver. E a Dra Maya aconselhou para uma rapariga que andava a perder peso uma colher de leite condensado por dia. 200 latas de leite condensado arremessadas a essa nobre figura publica portuguesa era pouco!!

    ResponderEliminar
  2. Eu quero, nós queremos, é o teu próximo texto. Urge dar um pouco de erotismo a este blogue. Eu, como sabes, dedico-me mais à nobre arte circense da palhaçada.

    ResponderEliminar
  3. hoje nao consigo estou sexual sexual sexual.

    ResponderEliminar
  4. É impressão minha ou o que a Maya faz é um crime?

    A gaja não tem o direito, por exemplo, de dizer a alguém que esse alguém é saudável, principalmente quando essa pessoa tem uns sintomas estranhos. E se essa pessoa tem uma doença grave e fica descansadinha da vida sem ir ao médico achando que não tem problema nenhum, acreditando nas previsões da "energumena" da Maya ?

    Que palhaçada é esta ?

    Claro que o pessoal só acredita no que quer, mas foda-se. Esta gentinha que acredita na Maya está ao nível do pessoal que acha que os "pastorinhos" viram a senhora de fátima, quando, provavelmente, o que viram foi uma luz qualquer lá ao fundo.

    Para mim, o que a Maya faz é um crime.

    Com a saúde não se brinca. PALHAÇADA !

    ResponderEliminar

Siga-nos por Email