Nonsense consensual em forma de blogue.
Criado no dia 22 de Abril de 2012.

Parental Advisory

+ 2 comentários

Confesso que não sou fã de manga. Nem da fruta nem da banda desenhada. A fruta tem uma textura desinteressante, um gosto ambíguo e vale pela côr. Sim, é um acento circunflexo. Doravante, passarei a ser mais retrógrado ainda na escrita para o próximo A.O. propor que se regresse à normalidade de, digamos, o ano 1980. Eu sei que poderia ter utilizado no verbo propor também. Mas, aí, não há lugar para confusões. Sei isto de cor e salteado.

Um salteado, ou sauté para ser mais chique e porque o francês é sempre algo sensual, é algo que eu adoro. Uns legumes salteados de mão dada com uma bela carne são algo de maravilhoso. Desculpem lá vegans mas eu não nasci coelho. Já sei que, na vossa opinião, um belo de um tofu (substância execrável) não tem substituto. E que meat is murder e o camandro. Está bem. Fiquem-se pelos tomates que eu fico com o chouriço.

Carne foi algo que começou a aparecer com as recentes temperaturas. Agrada-me. Sou um voyeur confesso. Somos todos. Voyeurs. Confessos não porque parece mal. Tenho uma imagem recente, numa parte recôndita e pornográfica do meu cérebro, que só me faz lembrar a expressão “Dat Ass!”. Suponho que seja humano. Eu bem tento não ser.

Toda esta merda de conversa, em televisão, estaria sujeita a uma bolita encarniçada no canto da pantalha (foda-se, toma, não escrevi écran). É o Parental Advisory em grande. Estão a gostar dos itálicos? Não tarda nada faço uns negritos (já fazia um negro) e uns sublinhados. É preciso é ter calma.

Como alguns bonecos de manga na Coreia. A cuequinha branca e a parte das mamas está coberta e pixelizada. Não, não é manga porno. Manga normal. Ah, que giro, são mesmo estúpidos!

Pois.

Nós, tugas desenvolvidos e muito à frente, somos muito mais liberais. Nas notícias fala-se duma gajinha qualquer que vendeu as filhas menores para sexo a um oficial das forças armadas durante anos. 
Uma criança de onze, sim onze (negrito), anos foi violada pelos colegas da turma de igual idade. Um gang bang em versão infantil. 
Um gajo qualquer dá uns tiros no genro com a neta ao colo. 

Prime time. Sem bolinha. Sem restrições.

Após três novelas brasileiras que cada vez tenho mais dificuldade em perceber sem legendas, passamos à hora de ver filmes falados em inglês. Primeiro a produção nacional. Nacional do Brasil. E algumas tugas, reconheço. Entre espancamentos, vigarices e a noção de que todos os ricos são maus e os pobrezinhos são uns santos ao estilo Floribella, tudo vai passando.

Sem bolinha, sem restrições e com desinformação e maus princípios educacionais.

Chegamos ao filme. É uma história de amor. Duas pessoas conhecem-se, amam-se e aparecem cinco segundos de mamas no televisor.

Foda-se! Que badalhoquice! Mamas? Amor? 

Bola vermelha!

Não queremos que as crianças cresçam traumatizadas e a pensar que o sexo entre duas pessoas que se amam é normal.

Costumo ter umas conclusões giras. Hoje não estou inspirado. 

Mas sei que, depois do itálico e do negrito, ainda não usei o sublinhado.

Fuck Parental Advisory!


2 comentários:

  1. :))))) amei este e o meu favorito de todos. De todos...estamos em sintonia hoje, somos uns John Lennon!!! Spread the love.

    ResponderEliminar

Siga-nos por Email