Nonsense consensual em forma de blogue.
Criado no dia 22 de Abril de 2012.

Um Domingo Qualquer

+ 5 comentários

Aos domingos, tenho por hábito fazer o mesmo que Deus fez aquando da Criação: parar, descansar e contemplar a desgraça. E que belo acervo de cocó que consegui reunir. Sim, senhor.

No sábado, uma amiga de longa data que tem o condão de me irritar com duas palavras, apareceu com uns jeans que tinham mais buracos do que tecido e um top insignificantemente justo. Pareceu-me um bom princípio de conversa e até pensei que não iria passar-me como é hábito. Tarefa inglória.

O bom disto foi colocar-me de mau humor até hoje, algo que me torna mais analítico e implicativo.

Fui à rua. Obviamente que encontrei daquelas criaturas que habitam nos arredores de Lisboa e que se lembram de aparecer cada vez que a temperatura sobe cinco graus. Um sujeito de calções vermelhos, blusa de alças, barriga fermentada e uma colecção de chapéus-de-sol.

A mulher. Debaixo do sarongue transparente algo que já pode ter sido um rabo tenta desesperadamente saltar para fora dos elásticos das cuecas. As nádegas fazem-me pensar em sal grosso, carvão e pão saloio. É assim que eu aprecio a entremeada.

Os putos. Um casalinho como alguns gostam de se referir aos putos quando pertencem a géneros diferentes. Um casalinho que, com o tempo, ficará igual ao casalão. Coisa fofa.

A senhora fez-me lembrar o Pacote Laboral. Talvez por ter um pacote que tinha ar de já ter sido muito trabalhado. O cavalheiro, à falta duma tatuagem a dizer “Angola 69” deveria ter uma a dizer “Pingo Doce 2012”.
São estes exemplares que me levaram a tomar uma decisão. Serei Frei Medinos. Afinal de contas, abraçar a carreira eclesiástica nunca impediu nenhum católico de pinar forte e feio. E sempre temos o apoio da Igreja que dá algum jeito em tempos de crise.

Regressado a casa, liguei o televisor. Vejo uma rapariguita de sabrinas a cantar qualquer coisita. Já alguma vez disse que odeio sabrinas? Sabrinas estão para uma peça de calçado como as camisolas de alças estão para um fato de gala. Sabrinas, pantufas e pijamas. Alguém criou estes artigos com a intenção de lixar a vida sexual de quem os usasse. Só em duas ocasiões é que sabrinas podem ser aceites: como nome de uma bruxa numa série imberbe de TV ou como nome de uma brasileira dum bar de alterne.

Percebi que se tratava dos Ídolos. Ignorando, propositadamente, os membros do júri passemos à frente. Notem o desdém. Ah, não consigo...
O Toino disse, várias vezes, o seguinte: “Os que passarem ficarão connosco no futuro.”

Ó Toino, porra! Iriam ficar onde? No passado? Isso sim, seria uma frase bonita e que poderias aproveitar para uma das tuas cantilenas. “Passaste no presente e ficaste comigo no passado, la, la, la”
Diz lá que não é profundo? Pelo menos, não é plágio. Se leres isto, já sei que estás habituado a copiar sem autorização mas, mesmo assim, eu deixo utilizares a frase. Sou um grande fã do teu trabalho. Conseguiste pôr uma família inteira que não canta puto a vender discos como o caralho.Parabéns!

Oxalá a Luciana Abreu não se lembre de fazer o mesmo senão, um dia destes, temos o Coliseu dos Recreios cheio de Djalózinhas. Seria algo como as Supremes mas em versão Baixa da Banheira. Luce, desculpa mas ainda não decorei o nome das tuas crianças. Estou à espera que acabes de parir as restantes dez para depois estudar o assunto.

Ah...isto estava a ir tão bem sem palavrões. Agora já está, foda-se.

Ainda sobre os Ídolos e escolha das músicas. Vanessa Carlton? EZ Special? A sério? Quem é que sugeriu esses nomes? Algum arqueólogo que descobriu uns vinyl em Foz Coa? E logo esses.

Mas acho bem. Acho até muito bem. O que acho mal, até muito mal, é assassinarem sem dó nem piedade a música Lately do Stevie Wonder. Cantem o não há estrelas no céu ou uma parolada do género. Não batam mais no ceguinho. Literalmente.

E ensinem as letras à canalhada...

I hope my promises are misses é brilhante! Sim, és uma promessa falhada se é isso que querias dizer com esse inglês de Sta. Iria da Azóia. Vá, eu ensino: Well, I'm a man of many wishes, I hope my premonition misses, etc.

Vês, meu cabecinha de dildo, não é complicado.

Entretanto, chamaram-me a atenção para o programa da TVI. Dada a extrema qualidade dos residentes, nunca vejo aquilo.

No entanto, e apesar de ser um descendente dos Morangos, o FF (isto quer dizer o quê? Firefox?) canta bem. Gostei.

Nem sempre digo mal. Aliás, quase nunca.

Nunca mesmo.

Só mais uma notazinha...ninguém manda aquele idiota do Pinto da Costa à merda? Mas com as letras todas.

Que gajo mais ordinário.

E as pessoas gostam. É domingo. Está tudo explicado.



5 comentários:

  1. Ahahah
    Como adoro ler-te...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Anónima! Pff :) Mas acho que sei quem és, S.

    ResponderEliminar
  3. Adoro!!! De plus en plus je prends plaisirs a venir sur ce blog ;)

    ResponderEliminar

Siga-nos por Email