Nonsense consensual em forma de blogue.
Criado no dia 22 de Abril de 2012.

Hey! Minister! Leave Them Parents Alone!

+ 9 comentários


Não sou um seguidor, nem um imitador do Robert Pattinson ou do George Clooney. Isto reduz, drasticamente, a minha popularidade entre o sexo oposto compreendido entre os 15 e os 60 anos mas tem vantagens. E não me refiro a depravações como necrofilia, pedofilia e afins.

Uma delas é poder dizer disparates pouco consensuais como eu gostar deste governo que temos sem medo de me tornar impopular. Gosto dele. Gosto dele por oposição às alternativas. Gosto por comparação com outros governos. Mas, como qualquer bom português, não gosto que me venham aos bolsos praticar surripianços ao abrigo de leis descabidas

Aparentemente, os pais dos alunos que faltem às aulas podem ser punidos com multas até aos 79 euros. Acho muito bem, dirão esses moralistas do costume nas suas reflexões escatológicas. Aliás, para esse tipo de pessoas, reflectir significa somente aparecer nos espelhos. Mas nos espelhos dos vizinhos porque na casa deles isso não existe. Nem reflexos nem reflexões. Um deserto como diria o Mário Lino.

Mas, eu não acho nada bem. Aliás, acho muito mal. Dou um exemplo que me é próximo por há muitos anos atrás a mãe ser um pedaço de pecado. O rapazito está proibido por escrito, três vezes, de sair do recinto escolar durante o período de aulas havendo ou não professores para as ministrarem. Geralmente não há mas acho que esses ilustres educadores não são multados. Nem os pais deles. No entanto, sai e entra à vontade com os mais diversos porteiros que a escola tem. Afinal para que serve a proibição de sair? Para nada.

Estabelecido isto, passamos à segunda parte. As faltas do dito estudante nunca foram na primeira aula. Significa isto que, após assistir à primeira aula ou às primeiras conforme a vontade e os aliciamentos, o rapaz lembrou-se de se baldar. Normal. Não é louvável mas é normal. Por outro lado, significa também que saiu da escola dentro do período em que estava expressamente proibido de o fazer e com a devida comunicação escrita e falada para a escola, três vezes. Significa também que saiu com a permissão dum funcionário da escola que está mais interessado em que chegue a hora de ir beber a bica com as colegas e fumar o seu Chesterfield do que prestar atenção a um trabalho tão complicado como olhar para a filha da puta duma porta onde só consegue passar uma pessoa de cada vez.

Segundo a nova lei, o pai do dito estudante irá mamar, e o verbo é mesmo mamar, com uma multa de 79 euros por culpa da escola. Então e que tal processar a escola por mais um ano que o aluno vai estar a repetir por óbvia ineficácia dos docentes e respectivos comparsas? E, tudo isto, com os custos inerentes para os pais e evidente desmotivação para o aluno.

De tempos em tempos, surge uma nova lenga-lenga para desculpar a mediocridade. Cumprir, em Portugal, significa atingir os requisitos mínimos enquanto alguém está a olhar. Depois, nem isso. Excederem-se? Brio? Isso é para os parvos.

A nova lenga-lenga é a de que os pais é que são responsáveis pela educação dos filhos. Sem dúvida. De acordo. Mas, não são responsáveis pelas crianças que estão dentro da escola. Isso é uma responsabilidade da escola. E, os funcionários escolares, incluindo professores, escusam de vir argumentar com a falta de educação das crianças como um entrave para realizarem o seu trabalho. Aguentem-se e mamem a bucha. Hoje estou com o mamar na boca. Quem trabalha em hotelaria atura muito pior e não os vêem a dizer: Pois, eu até serviria um bitoque melhor mas o cliente não me pediu por favor. Não dizem porque mal aparecessem resultados negativos iriam para a rua.

De reparar que estas multas também se podem traduzir em trabalho comunitário. Hilariante. O seu puto faltou à escola por isso vá lá aparar a sebe do quartel dos bombeiros. Espera aí que já lá vou.

Além do mais, que eu saiba, quem pode atribuir multas são os tribunais. Neste caso, o tribunal de menores. Nunca me passaria pela cabeça estar um dia com a professora de matemática a bater-me à porta porque o meu puto faltou à aula sobre equações do segundo grau e eu teria que largar quatro notas de vinte ou, em alternativa, ir lavar o carro do senhor director durante um mês.

A acrescentar a todo este disparate, a persistência nas faltas resulta numa "comunicação à Comissão de Protecção de Crianças e Jovens ou ao Ministério Público tendo em vista, por exemplo, programas de educação parental".

Sim senhor. Multam-se os pais por não saberem educar os filhos a não faltar à escola. De seguida, mandam-se os pais para essa mesma escola para aprenderem como ensinar os filhos a não faltar.

Ouçam lá, ó gajinhos do Ministério da Educação, mas o que é que vocês andam a meter? Tinha ideia que o pessoal da ganza era o do Bloco de Esquerda.


9 comentários:

  1. Como vês, o pessoal da ganza não é o do Bloco de Esquerda. ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São, sim. Estes são mais na onda do LSD. Que loucura de leis!

      (Beijinhos para todos Sra. Professora) ;)

      Eliminar
    2. Mas olha que eles foram uns queridos. Podiam ter estabelecido o valor de 80 euros, que é um número mais redondinho e facilitador de trocos, mas não. Uns amores! ;)

      Eliminar
  2. Sera que tb vai haver multa para o ME qdo chega o inicio do ano lectivo e que nao ha aulas e os putos ficam 15 dias em casa de ferias ???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou quando passam 3 meses sem Directora de Turma porque a senhora ficou de baixa e, entretanto, não lhes pareceu correcto nomear uma substituta. Lamento a situação precária de alguns professores mas o ensino por cá é medíocre.

      Eliminar
  3. A culpa é de todos e de ninguém. Viva o lavar das mãos da sociedade! Hip Hip Urra!

    ResponderEliminar
  4. Professor em Almada e Presidente da Junta da Costa. Em bom internetês: OWNED! :)

    http://i47.tinypic.com/e11yzr.jpg

    ResponderEliminar
  5. LOOOL Esse teu coment no Facebook foi enorme :D

    ResponderEliminar

Siga-nos por Email